Nosso negócio é rua

3 anos atrás

 

Nosso negócio é rua

Se tem uma coisa que eu amo no triatlo é a liberdade. Se for nadar, aquele momento ali é só seu. A imensidão do mar, as ondas, o gosto de sal… Depois vem o pedal, o vento na cara, a paisagem, o cheiro dos diferentes ambientes que a estrada proporciona e a corrida que nos leva a qualquer canto, nos faz conhecer novas ruas, avenidas e pessoas.

Porém, praticar atividade física disputando espaço no trânsito cada vez mais caótico das grandes cidades, além de ser um desafio é um tremendo risco.
Esses dias uma amiga quase morreu. Ela foi atropelada quando fazia um treino de corrida perto de casa. Um caminhão de pequeno porte não teria respeitado a placa de parada obrigatória e acabou acertando minha colega em cheio. Ela teve traumatismo craniano, ficou três dias no hospital em coma, mas graças a Deus está bem e se recuperando em casa.
Ela contou que olhou antes de atravessar o cruzamento e não viu nenhum veículo. Ela foi atingida quando já se preparava para subir na calçada e continuar o treino no passeio.

Correr na rua exige uma série de cuidados. Eu faço isso pelo menos umas 2x na semana. Passo muita raiva com motoristas que são ignorantes em todos os sentidos. Quando estou de bike então, as grosserias e os absurdos que eles fazem conosco é ainda maior. Não respeitam a distância de 1 metro e meio e são tão estúpidos que não se lembram que bicicleta é um veículo de tração humana, leve e têm prioridade no trânsito. Enfim, para a maioria aqui, a corrida é o principal esporte e até mesmo se o seu treino for na Orla da Lagoa, em algum momento, até pra evitar a aglomeração, você vai ter que correr na rua. E e aí que mora o perigo. Mas, com todos os cuidados, você vai até fazer como eu já fiz muitas vezes: correr até em rodovia. Eu amo!

E AQUI VÃO ALGUMAS DICAS PRECIOSAS…

Corra na contramão dos carros

O melhor sentido para correr na rua é na contramão dos carros –e também o que determina as leis de trânsito (o que não vale para bikes, que devem estar no mesmo sentido dos automóveis). Dessa forma, você terá maior possibilidade de ação para se proteger caso um imprevisto aconteça, como o movimento brusco de algum veículo, um motorista distraído que sai da sua faixa e se aproxima do meio-fio ou outras situações inesperadas. Para que essa medida seja mais efetiva, é preciso ficar atento aos veículos e sempre estar preparado para escapar rumo ao canteiro mais seguro ou à calçada –aliás, sempre que a calçada não for esburacada ou cheia de degraus,…

Não use os dois fones de ouvido (ou não deixe o volume alto)

A música é uma ótima companheira para muitos corredores, mas na rua ela pode se transformar numa vilã. Afinal, com fones de ouvido e volume alto, o corredor pode não escutar sons importantes, como a buzina de um carro, o alerta de uma bicicleta etc. Aproveite quando for treinar na rua para tentar correr sem fones de ouvido. Mas se eles são parceiros inseparáveis, use só de um lado e/ou deixe o volume baixo. O som que você curte não pode ser prioridade sobre o som da rua….

Use roupas chamativas

Camiseta, acessórios e tênis coloridos facilitam a vida de motoristas e ciclistas na hora de visualizar os corredores. Também há equipamentos feitos com materiais refletivos, que brilham com mais intensidade quando são “atingidos” por um farol, por exemplo. À noite, esse tipo de roupa e acessório é ainda mais importante para uma convivência em segurança com quem divide a rua com você. Respeite as leis de trânsito Corredor também deve seguir as leis de trânsito. Acelerar para atravessar um farol vermelho para pedestres só porque você não quer esperar o próximo sinal verde é um erro. Em termos fisiológicos, parar de correr por um período curto enquanto aguarda …

Cuide de sua segurança

Evite ruas desconhecidas que você normalmente já não passaria se estivesse passeando. Correr acompanhado também é boa opção, desde que não atrapalhe sua atenção e seu ritmo. Evite levar objetos de valores e sempre carregue um pouco de dinheiro, para comprar água ou usar caso surja algum imprevisto –você sente uma lesão e precisa pegar um ônibus para voltar para casa, por exemplo. Ter uma forma de identificação (documento, pulseira) também é boa prática, assim como um contato de emergência.

Sinalize sua direção

Um corredor está vindo na direção contrária? Faça da sua mão uma “seta” e mostre para ele a direção que você irá tomar, evitando um choque entre vocês e um acidente mais grave envolvendo os veículos que estão por perto…

Faça selfie no lugar certo

Tirar selfies e registrar o treino é uma prática prazerosa e inspiradora para muitos corredores, mas faça isso com cuidado. Bata sua foto num lugar seguro e que não atrapalhe outras pessoas. Não é raro vermos casos de acidentes com pessoas que se distraem no momento da foto, e com o corredor o risco é o mesmo.

Preste atenção nos buracos

Vilões comuns no mundo da corrida, os buracos em ruas e calçadas são responsáveis por muitas lesões. E durante e após as chuvas, eles se tornam obstáculos ainda mais temidos, já que fica difícil diferenciar um simples espelho d’água de um buraco de verdade. Para diminuir esse risco, tente olhar cerca de três metros à frente.

Mantenha-se 100% focado

Correr na rua exige a habilidade de prestar atenção simultaneamente na atividade física e em tudo o que acontece a seu redor. Ficar sempre ligado no ambiente enquanto corre reduz os riscos de acidente e deixa você no controle de boa parte das situações….

Agora, pé na estrada e bora correr!!

 

Abraços da Virgínia Nalon